Informações sobre os lançamentos das melhores apostilas (impressa e PDF) e cursinhos online preparatórios para concursos públicos em todo o Brasil.

Apostila Concurso MF - ATA - Nível Médio - 2014

Você vai participara do próximo concurso público de 2014 do Ministério da Fazenda - MF pra Assistente Técnico Administrativo - ATA, de nível médio e ainda não adquiriu apostila preparatória? Duas boas opções são a Editora Opção (veja AQUI), 21 anos no mercado, e Editora Solução (veja AQUI), 30 anos no ramo.

Veja abaixo algumas dicas sobre vírgula:

        A vírgula serve para marcar as separações breves de sentido entre termos vizinhos, as inversões e as intercalações, quer na oração, quer no período.

        A seguir, indicam-se alguns casos principais de emprego da vírgula:

        a) para separar palavras ou orações paralelas justapostas, i. é, não ligadas por conjunção:

        Chegou a Brasília, visitou o Ministério das Relações Exteriores, levou seus documentos ao Palácio do Buriti, voltou ao Ministério e marcou a entrevista.

        Simplicidade, clareza, objetividade, concisão são qualidades a serem observadas na redação oficial.

        b) as intercalações, por cortarem o que está sintaticamente ligado, devem ser colocadas entre vírgulas:

        O processo, creio eu, deverá ir logo a julgamento.

        A democracia, embora (ou mesmo) imperfeita, ainda é o melhor sistema de governo.

        c) expressões corretivas, explicativas, escusativas, tais como isto é, ou melhor, quer dizer, data venia, ou seja, por exemplo, etc., devem ser colocadas entre vírgulas:

        O político, a meu ver, deve sempre usar uma linguagem clara, ou seja, de fácil compreensão.

        As Nações Unidas decidiram intervir no conflito, ou por outra, iniciaram as tratativas de paz.

        d) Conjunções coordenativas intercaladas ou pospostas devem ser colocadas entre vírgula:

        Dedicava-se ao trabalho com afinco; não obtinha, contudo, resultados.

        O ano foi difícil; não me queixo, porém.

        Era mister, pois, levar o projeto às últimas conseqüências.

        e) Vocativos, apostos, orações adjetivas não-restritivas (explicativas) devem ser separados por vírgula:

        Brasileiros, é chegada a hora de buscar o entendimento.

        Aristóteles, o grande filósofo, foi o criador da Lógica.

        O homem, que é um ser mortal, deve sempre pensar no amanhã.

        f) a vírgula também é empregada para indicar a elipse (ocultação) de verbo ou outro termo anterior:

        O decreto regulamenta os casos gerais; a portaria, os particulares. (A vírgula indica a elipse do verbo regulamenta.)

        Às vezes procura assistência; outras, toma a iniciativa. (A vírgula indica a elipse da palavra vezes.)

        g) nas datas, separam-se os topônimos:

        São Paulo, 22 de março de 1991.

        Brasília, 15 de agosto de 1991.

        É importante registrar que constitui erro crasso usar a vírgula entre termos que mantêm entre si estreita ligação sintática – p. ex., entre sujeito e verbo, entre verbos ou nomes e seus complementos.

        Errado: O Presidente da República, indicou, sua posição no assunto.

        Certo: O Presidente da República indicou sua posição no assunto.

        Nos casos de o sujeito ser muito extenso, admite-se, no entanto, que a vírgula o separe do predicado para conferir maior clareza ao período. Ex.:

        Os Ministros de Estado escolhidos para comporem a Comissão e os Secretários de Governo encarregados de supervisionar o andamento das obras, devem comparecer à reunião do próximo dia 15.

        O problema que nesses casos o político enfrenta, sugere que os procedimentos devem ser revistos.

Fonte: http://www.planalto.gov.br/ccIVIL_03/manual/manual.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário